Férias, pois são necessárias

Olá, caros!

Sei que o blog aqui já teve seus altos e baixos em relação à frequência de postagens, um reflexo do meu tempo disponível para cuidar dele. Estou muito disposta a fazer uma coisa legal, até criei uma página no Facebook para ajudar na divulgação.
Só que o que acontece agora, novamente, é um reflexo da minha vida pessoal – eu praticamente emendei um TCC ao outro, não me dei o tempo necessário para fazer tantas coisas… Agora muitas delas voltaram e eu preciso resolver. Da mudança de móveis de lugar em casa a férias de trabalho, que estou há quase dois anos sem, de responder e-mails que estão há mais de 20 dias na minha caixa de entrada a reorganizar o blog.

E é por tudo isso e mais alguns detalhes que o Cinematic precisa de férias. Para que eu possa repensá-lo, preparar algum conteúdo, alterar a natureza de algumas postagens, essas coisas que não são possíveis fazer de um dia para o outro cheia de tarefas a cumprir.

Serão um mês e meio de pausa, para que eu possa dar conta de todas essas coisas aí de cima, e voltar em 2014 bem melhor.

Na fanpage os post seguirão aparecendo às terças e quintas, em retrospectiva, e eu vou estar sempre de olho pra responder qualquer contato.

É isso. Bom feriado para vocês, boas férias para o blog e até logo! Vai passar depressa.

Ano Novo, Nova Tentativa

sumi do blog, sumi parcialmente das redes sociais. mas olha, decidi voltar.
sou viciada em blog, sabe.
faz dez anos que eu sempre começo a escrever em algum lugar, simplesmente porque não consigo deixar as ideias guardadinhas dentro da minha cabeça, elas precisam ir pra fora. já tive todo tipo de blog e esse aqui, até onde minha memória alcança, foi meu preferido. pena que não tive tanto tempo para cuidar dele quanto dos primeiros, onde eu postava tudo que achava legal, às vezes mais de uma vez por dia.
bons tempos.
hoje tem rede social, as pessoas escrevem já tendo um público garantido – os 982312863 amigos no feice. mas gosto mais de blog. sou retrô, gosto de blog e e-mail, todo o resto me parece fugaz demais, superficial demais.
e eu ainda prefiro livros de papel a tablets. talvez eu ainda escreva um livro, faz uns de dez anos que algumas ideias me cercam.
eu decidi voltar pra esse blog, mesmo que não seja mais pra falar só de cinema, com postagens estruturadas, imagens, trailer… era um projeto muito bacana, mas precisaria de mais tempo pra fazê-lo direito. agora estou concentrada em fazer outras coisas direito.
quero voltar a escrever sobre cinema, sobre as coisas que gosto, mas daqui pra frente vai ser mais simples.

pronto, voltei.

e vou começar dizendo que ontem fiz 25 anos e estou me sentindo melhor que aos 22. que comemorei vendo Cavaleiros do Zodíaco abraçada com meu amor. que ainda vou fazer um post lindo sobre Cavaleiros do Zodíaco, porque é muito legal e não me conformo de não ter assistido na infância. e que neste meu ano novo pessoal eu quero fazer uma porção de coisas pra evoluir de verdade e chegar aos 26 melhor do que estou agora.

vou adorar voltar a postar sem me prender a regras.
beijo pra quem fica.

Retornando

Olá, caros!

Fiquei em débito com o projeto de postar um filme por dia, mas isso tem uma explicação: este foi meu último ano de faculdade.
Nos últimos meses, o TCC monopolizou minha atenção, concentrando cerca de 12h de trabalho diário, e não só faltava tempo para atualizar o blog como para assistir filmes: antes de “Amanhecer”, que assisti ontem à noite, o último filme que vi foi no dia 29 de outubro, e nem consegui escrever nada sobre ele.
Mas agora em dezembro chegaram minhas merecidas férias, depois de quatro anos de jornadas duplas, e vou aproveitar para atualizar tooooodos os buracos que ficaram nos últimos meses e acrescentar umas ideias novas.

Outra coisa que aconteceu nos últimos dias, e me feriu absurdamente, foi a última negação de tombamento do Belas Artes. Eu gostaria de ter vindo aqui, prestado todas as minhas homenagens, argumentado sobre o quanto isso é absurdo. Mas quantos de nós argumentamos sobre este absurdo durante o ano inteiro, para chegar no fim de novembro e dizerem que “o prédio não tem importância arquitetônica para ser tombado”?

Eu poderia me estender, abordar vários assuntos que me incomodam – da extinção do meu cinema preferido, graças à nojenta especulação imobiliária, ao ridículo desse atual monopólio de filmes dublados nas salas mais comerciais, mas vou me controlar e parar por aqui.

Em breve, as atualizações vão retomar o ritmo.

Até mais!

Uma Esperança

Há alguns dias, fiquei muito deprimida ao saber que a Prefeitura de São Paulo estava dando as costas para a questão do tombamento do Belas Artes.
Eis que na última segunda-feira o Condephaat – órgão estadual de preservação patrimonial – deliberou por quatro horas e autorizou o início do estudo de tombamento do cinema, acendendo uma esperança que certamente havia se apagado após o parecer da Prefeitura.

Hoje vai ter uma festa-manifestação lá em frente às 19h.

Eu vejo uma galera reclamando do tombamento do cinema. Fico imaginando o que essas pessoas defendem ser preservado na cidade – mas imagino que elas não valorizam nada, que para elas cidades não passam de ruas congestionadas, o emprego e shoppings. Ou pior: que só na Europa há coisas que devem ser preservadas.

#00 – Apresentação

Nunca mexi no WordPress na minha vida.

Há nove anos entrei na blogosfera meio que por acaso, sem saber direito o alcance que os blogs alcançariam através da década.

Terminei o ensino médio, passei alguns anos no limbo entre o fim da adolescência e o início da faculdade, meio sem saber o que fazer da minha vida.

Devo me formar em dezembro e agora alguma coisas estão um pouco mais claras. Algumas.

E por isso decidi fazer esta página, um tipo de tributo à minha memória e minha paixão por filmes, cruzado com o aprendizado de uma nova ferramenta de publicação e ao mesmo tempo um tipo virtual de sketchbook.

A proposta inicial é postar informações de um filme por dia, independente de tê-lo visto no mesmo dia ou em outra ocasião, desde que possua diálogo com algum elemento da data ou com o último filme postado.

Quem quiser me acompanhar nesta experiência, seja bem vindo!